Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de junho de 2024

Sinistros de trânsito são principal causa de óbito de crianças e jovens de 5 a 29 anos

Secretaria de Saúde do DF destaca importância da campanha Maio Amarelo, que visa conscientizar população para maior segurança viária.


Por Agência de Notícias Publicado 19/05/2024 às 08h00
Ouvir: 00:00
óbitos de crianças
Sinistros de trânsito são a principal causa de óbitos de crianças e jovens de 5 a 29 anos no mundo. Foto: Divulgação/Agência Saúde-DF

Este é um mês dedicado a ações de conscientização sobre o alto índice de mortos e feridos por acidentes automotivos. Denominada Maio Amarelo, a campanha busca coordenar mundialmente os esforços dos poderes públicos e da sociedade civil em prol da segurança viária. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ocorrências no trânsito são uma das principais causas de morte no mundo, sendo a principal causa de óbito de crianças e jovens de 5 a 29 anos.

No Distrito Federal, os dados mais recentes da Secretaria de Saúde (SES-DF) apontam que, entre 2012 e 2021, houve 5.960 óbitos em decorrência de acidentes de transporte terrestre. No final de 2023, Hércules Ribeiro Souza, 18, sofreu um acidente ao tentar desviar de um automóvel que dirigia na contramão. “O carro capotou dez vezes. Na quinta, fui lançado pela janela. Parei cerca de 200 metros à frente. Caí de costas no chão e fraturei a coluna”, relata o jovem, que passou 36 dias em coma e ainda tem as cicatrizes do acidente.

Hércules foi submetido a uma cirurgia delicada nas costas para preservar os movimentos do corpo. No total, ele precisou passar por quatro unidades de saúde diferentes desde o acidente. Foram elas: Hospital Regional de Brazlândia (HRBz), Hospital de Base (HBDF), Hospital da Região Leste (HRL) e Hospital de Apoio de Brasília (HAB) – onde, atualmente, se encontra em tratamento.

O jovem diz ser grato por sobreviver, mas a ação irresponsável de um motorista significou uma recuperação difícil.

“Hoje estou fazendo fisioterapia para conseguir voltar a andar. Fiquei na cadeira de rodas por um mês, depois passei para o andador e, após dois meses, para a muleta. Agora estou reaprendendo a andar.”

Sinistros mais graves

O diretor do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu-DF), Victor Arimateia, explica que as ocorrências mais sérias de trânsito estão diretamente relacionadas ao desrespeito às regras básicas de direção.

“Quando se fala em acidente automotivo, já há uma previsão de encontrar vítimas com maior gravidade, especialmente envolvendo vias de alta velocidade. São situações como ultrapassagens inadequadas ou com sinal vermelho, o uso incorreto do cinto de segurança, não observar o regramento para o transporte de crianças no banco traseiro”, elenca.

Arimateia enfatiza que deve se fazer o atendimento aos feridos no menor tempo possível. Além disso, que é fundamental a cooperação dos demais motoristas com as viaturas do Samu-DF.

“No caso de acidentes traumáticos, o tempo de resposta para se chegar até o acidentado é muito importante”, reforça.

*Com informações da SES por Agência Brasília

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *