Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

23 de fevereiro de 2024

ABRAMET participa de tratado inédito da AMB e apresenta a medicina do tráfego

Coube à Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) preparar o capítulo que aborda os aspectos mais importantes sobre a medicina do tráfego.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 13/02/2024 às 08h15
 Tempo de leitura estimado: 00:00

A Associação Médica Brasileira (AMB) publicou o Tratado de Medicina Geral, obra inédita que apresenta os temas mais importantes das 55 especialidades médicas em atividade no Brasil, destinada a subsidiar a atuação de médicos e favorecer a melhor tomada de decisões. Coube à Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet) preparar o capítulo que aborda os aspectos mais importantes sobre a medicina do tráfego, uma das especialidades que mais cresce no País.

“Esse tratado é uma obra de grande relevância, uma iniciativa que reforça a importância da AMB no fortalecimento de uma medicina de excelência no Brasil. A inclusão da medicina do tráfego reforça a importância da especialidade e ratifica sua interface com as demais áreas da saúde”, afirma Antonio Meira Júnior, presidente da Abramet. “Para nós foi uma honra produzir o capítulo e partilhar com médicos de todo o Brasil os conhecimentos gerais sobre a mobilidade saudável”, disse. 

Com Meira, assinam o conteúdo o diretor científico da entidade e responsável pela consolidação das contribuições, Flávio Emir Adura. Para o diretor, a participação no tratado representa uma oportunidade única de disseminar informações essenciais sobre a medicina do tráfego. Essa é uma especialidade que lida diretamente com a segurança e a saúde pública.

“A medicina do tráfego vai além da aplicação do exame de aptidão física e mental; ela engloba a prevenção de sinistros, a promoção da saúde no trânsito e a interação com políticas públicas. Este capítulo é um passo significativo para aumentar a conscientização sobre a complexidade e a relevância da nossa especialidade”, destaca Adura.

Também participaram da elaboração do Tratado de Medicina Geral os especialistas Adriano José Fontes Isabella, Áquilla dos Anjos Couto e João Roberto Adura. A obra contém mais de 250 capítulos assinados por cerca de 800 especialistas, recomendados pelas 54 sociedades de especialidade brasileiras. 

A iniciativa faz parte do Programa de Educação para o Médico Generalista do Brasil (PROGEB). Ele foi criado na gestão 2021/2023, que atua como braço da educação continuada da AMB. O objetivo é criar e disponibilizar conteúdos de pesquisa e de atualização para os médicos.

Obra referencial

“Com esse livro, a AMB cumpre com uma de suas missões de informar e oferecer material didático para que o médico possa bem orientar seus pacientes no dia a dia”, afirma César Eduardo Fernandes, presidente da AMB. A expectativa, aponta, é que a obra seja uma referência confiável nas próximas décadas, não apenas para médicos generalistas e especialistas como, também, para estudantes, residentes e acadêmicos da medicina. 

A medicina do tráfego é apresentada na parte 51 da obra, trazendo um panorama e principais indicadores sobre morbimortalidade no trânsito. Dessa forma, destacando a importância da especialidade na proteção à vida humana e do conhecimento desse tema por todos os médicos. “As lesões no trânsito são, hoje, a principal causa de morte de crianças e adultos jovens de 5 a 29 anos e a terceira na faixa de 30 a 44 anos. Os sinistros de trânsito representam a segunda causa de morte não natural no Brasil, sendo que em 8 dos estados desponta como trágica liderança. Causam anualmente mais de 180 mil internações computadas só na rede já extremamente carente e demandada do Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, acarretam sequelas em mais de 45 mil vítimas”, diz o livro.

Apresenta-se a medicina do tráfego como uma especialidade médica.

Ou seja, ela estuda as causas do sinistro de tráfego com o objetivo de contribuir para a prevenção ou mitigar suas consequências. “Os médicos generalistas podem contribuir com a redução da morbimortalidade do trânsito brasileiro aplicando as diretrizes produzidas pela Abramet para a preservação de vidas no asfalto”, sinaliza a entidade.

“Essa obra é estratégica para a medicina brasileira. E, certamente, ajudará o médico na busca por um atendimento cada vez melhor a seus pacientes”, avalia Flávio Adura. Para o Tratado Geral de Medicina da AMB, a Abramet preparou uma síntese de 10 temas de relevância presentes no dia a dia do médico. 

Com base no conhecimento acumulado assim como em diretrizes de conduta publicadas, a entidade apresenta questões relacionadas a motociclistas, sono e fadiga, consumo de álcool, uso de medicamentos, gravidez, diabetes, condutor idoso, uso de celular, cinto de segurança e equipamento para transporte de crianças (cadeirinha). As noções gerais oferecidas pela Abramet relacionam a incidência de sinistros e aspectos que merecem atenção do médico no atendimento bem como aconselhamento de seus pacientes.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *