Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

13 de julho de 2024

Venda digital de veículos chega ao Tocantins

Funcionalidade da Carteira Digital de Trânsito já foi utilizada em mais de 110 mil transações em todo país.


Por Assessoria de Imprensa Publicado 30/01/2023 às 18h00
Ouvir: 00:00

O Detran Tocantins aderiu na última semana à “Venda Digital”. A partir de agora, transações de compra e venda dos veículos do estado poderão ser feitas a partir da Carteira Digital de Trânsito (CDT). A funcionalidade, que já permitiu a realização de mais de 110 mil negócios em todo país, já possui a adesão de vários estados. São eles: Acre, Bahia, Ceará, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, São Paulo e Sergipe.

A venda digital dispensa o reconhecimento de firma no cartório. Isso porque a própria CDT realiza, por biometria, a validação das identidades do comprador e do vendedor. No entanto, para a transferência da propriedade, é necessário o comparecimento ao Detran, já que a legislação de trânsito exige o procedimento de vistoria.

“Temos a satisfação de informar à sociedade sobre nossa adesão à Venda Digital. O comunicado de vendas por aplicativo vai baratear custos e trazer celeridade, facilidade e integridade ao processo. É uma tecnologia que facilita a vida do cidadão, revendedores de veículos usados e concessionárias, que poderão realizar as vendas de veículos diretamente pela CDT”, afirmou o presidente do Detran Tocantins, Norton Rubens Rodrigues.

Passo a passo

Pelo ambiente da CDT, o proprietário do veículo faz comunicação da intenção de venda ao futuro comprador. Para isso basta acessar o CRLV digital na aba “Veículos”, clicar no botão “Iniciar Venda Digital” e preencher o CPF do destinatário. A partir daí, o Detran de registro do veículo toma conhecimento da ação e permite a geração da ATPV-e (Autorização para Transferência da Propriedade do Veículo), que aparece na CDT e é assinado eletronicamente por ambas as partes. 

A transação conta com altíssimo nível de segurança, exigindo a autenticação com conta prata ou ouro na plataforma gov.br. Além disso, checagem por biometria facial para a assinatura digital. O proprietário só precisa ir ao Detran, no final do processo, para fazer a vistoria assim como realizar a transferência do veículo.

Além de ser necessária a adesão do Detran do estado do veículo, a tecnologia está disponível apenas para documentos emitidos, por qualquer motivo, a partir de 4 de janeiro de 2021. Nesta data, o antigo Documento Único de Transferência (DUT) foi substituído por sua versão digital, o chamado ATPV-e.

As informações são do Serpro

Receba as mais lidas da semana por e-mail

1 comentário

  • Daislan Tiago Lira Sales
    08/02/2024 às 18:07

    Boa Tarde!
    E quando à negociação é feita para um CNPJ, no caso Concessionaria?
    Qual é o processo, pois não estou conseguindo fazer

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *