Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

27 de fevereiro de 2024

Como funciona uma área de escape?  

O Portal do Trânsito mostra como as áreas de escape são fundamentais para o trânsito, como surgiu e quem pode usar


Por Accio Comunicação Publicado 11/01/2024 às 13h30
 Tempo de leitura estimado: 00:00
DCIM100MEDIADJI_0419.JPG
Foto: ANTT/Arteris Litoral Sul.

A área de escape é um dispositivo de segurança para evitar acidentes em estradas. É bem comum caminhões e ônibus utilizarem a área, após constatarem algum tipo de problema. As áreas de escape surgiram nos Estados Unidos entre as décadas de 1950 e 1960. No entanto, no Brasil, surgiu apenas em 2011.  

De acordo com a concessionária Arteris Litoral Sul, empresa que administra rodovias e dispositivos de segurança, de 2011 até este ano mais de mil vidas foram salvas pela área de escape. Vale ressaltar que os dados são dos dispositivos localizados na BR-376, em Guaratuba (PR) e BR-116, instalado em Miracatu (SP).  

Segundo a concessionária, dos 500 acidentes evitados, 364 foram caminhões, 214 carretas e 15 ônibus com passageiros. Por outro lado, o custo para a construção de uma área de escape gira em torno de R$ 15 milhões.  

Qual material usado na área de escape?  

As áreas de escape possuem faixa branca e vermelha, que direciona o acesso a uma caixa. O local possui pedregulho, cascalho, britas e outros tipos de materiais que ajudam o automóvel a parar imediatamente.  

O automóvel entra em contato com a caixa, fazendo o caminhão ou ônibus parar após o atrito e assim garantindo que ele pare imediatamente. Tanto o sistema, como a lógica do escape, é semelhante aos usados por carros de Fórmula 1.  

O que acontece depois de usar área de escape?  

AREA-DE-ESCAPE

Foto: Arteris Litoral Sul.

Os danos externos, causados após o atrito do automóvel à caixa, são mínimos. A área de escape possui câmeras de vigilância e uma equipe de socorro atenta 24 horas por dia. A equipe inclui profissionais da saúde, ambulância, operador de guincho e inspetor de tráfego.  

Após o veículo acessar área de escape, ele segue para verificação se houve algum tipo de dano externo e interno. Caso esteja tudo ok, o caminhão ou ônibus pode voltar a trafegar novamente.  

Por fim, vale lembrar que é apenas 1 veículo por vez, na hora de usar a área de escape. Por exemplo, se um ônibus estiver no local e um caminhão quiser entrar, vai comprometer o atendimento as vítimas. E, claro, colocará a vida de todos em risco.  

Você sabia da história da área de escape? Comente aqui embaixo para nós! 

Leia também no Portal do Trânsito:

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *