Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

21 de julho de 2024

Dia Nacional dos Animais: como transportar o pet com segurança


Por Mariana Czerwonka Publicado 14/03/2022 às 17h35 Atualizado 08/11/2022 às 21h13
Ouvir: 00:00

No Dia Nacional dos Animais, o Portal do Trânsito traz algumas considerações importantes sobre o transporte de animais domésticos nos veículos automotores.

O Dia Nacional dos Animais é comemorado anualmente em 14 de março no Brasil. O objetivo de marcar esta data é a conscientizar as pessoas sobre os cuidados que devem ser dados aos animais, sejam domésticos ou selvagens.

Por esse motivo, o Portal do Trânsito traz algumas considerações importantes sobre o transporte de animais domésticos nos veículos automotores.

A primeira orientação é quanto às regras impostas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Conforme o Departamento Estadual de Trânsito do Paraná (Detran/PR), o animal não pode ir solto no veículo.

“No Art.252 do CTB consta que dirigir transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre braços e pernas é infração média. A penalidade a multa de R$ 130,16, mais quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH)”, apontou o órgão.

O Detran/PR explicou, ainda, que para evitar multa e risco à segurança tanto dos passageiros quanto do próprio animal, o tutor deve adaptar alguma alternativa para transportar o pet com cautela. Veja algumas dicas do órgão.

Caixa de transporte

Alguns pets preferem a caixa de transporte, mas é preciso estar atento ao peso e tamanho do animal. Além disso, ela deve estar associada, com algo legal para que o animalzinho não se sinta aprisionado. Outra dica é que o condutor do veículo precisa se certificar de que o acessório está bem preso ao cinto, para que não tombe ou, ainda, não obstrua a visão do motorista. A porta da caixa de transporte deve estar fechada durante toda a viagem.

Transporte no assento

O Detran/PR também sugere uma outra opção que é a cestinha. Ela é ideal para os pequenos pets e deve estar presa no encosto do banco traseiro. A parte inferior precisa estar presa com o cinto abdominal. A própria cestinha possui um outro cinto para colocar no animalzinho durante a viagem. Dessa forma, evita-se que o pet pule da cestinha e cause algum incidente.

Peitoral

O peitoral vai entre as pernas e a barriga do animal. De acordo com o órgão, ele proporciona melhor a distribuição de proteção durante uma freada repentina. Ainda conforme orientações, dentro do carro é preciso prendê-lo num local firme, que pode ser o próprio cinto de segurança. O condutor deve evitar deixar o peitoral frouxo, para não correr o risco de o pet cair entre os bancos.

Transporte rodoviário

Para o transporte rodoviário, os tutores dos pets devem, prioritariamente, consultar as regras da empresa para esse tipo de transporte. Depois disso, comprar uma passagem para a viagem do animal, com exceção dos cães guias. Nesse sentido, é necessário, também, apresentar atestado veterinário que indique que o pet em boas condições de saúde e apto a viajar.

Motos ou bicicletas

Para quem gosta de pedalar ou andar de moto com seu pet, não há proibição. No entanto, o ciclista ou o condutor, assim como o animal, devem estar seguros e confortáveis durante o trajeto, enfatiza o Detran/PR.

“Não existe legislação que proíba o transporte, porém, a falta de segurança, falta de atenção e falta dos cuidados indispensáveis à segurança, configura-se infração conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB)”, conclui o órgão.

 

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *