Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

22 de julho de 2024

Uso de medicamentos pode oferecer riscos ao volante


Por Mariana Czerwonka Publicado 20/07/2015 às 03h00 Atualizado 08/11/2022 às 22h48
Ouvir: 00:00

Medicamentos simplesDirigir é uma atividade que requer concentração, atenção, rapidez nos reflexos, coordenação motora, equilíbrio, boas condições de visão e audição e discernimento para avaliar riscos. Por esse motivo, é preciso ter cuidado na hora de ingerir qualquer tipo de medicamento. Remédios aparentemente simples, como antigripais e analgésicos, podem interferir nessas habilidades e trazer consequências graves, como o envolvimento em acidentes, muitas vezes fatais.

A ingestão inadequada, em excesso ou combinada com outras substâncias altera o comportamento do condutor. “Alguns medicamentos usados comumente pelas pessoas provocam efeitos colaterais perigosos, como alterações sensoriais, tonturas, sonolência e alterações de comportamento. No trânsito, esses efeitos podem levar o condutor a causar acidentes”, explica Celso Alves Mariano, especialista em trânsito e diretor do Portal do Trânsito.

De acordo com o especialista, cabe a cada um conhecer detalhadamente o medicamento que utiliza, tomando as medidas de segurança recomendadas pelo médico. “Ler atentamente a bula, prestando especial atenção aos possíveis efeitos e reações provocadas pela interação com outras substâncias, é fundamental”, diz.

As pessoas que utilizam medicamentos moderadores de apetite, antidepressivos, corticoides, anti-histamínicos e outras substâncias que reconhecidamente produzem alterações indesejáveis, devem ter cuidado redobrado e evitar a direção.

Misturar remédios com álcool então, nem pensar. “Além de potencializar as alterações do comportamento, essa mistura pode ser muito prejudicial à saúde e, em alguns casos, levar à morte”, conclui Mariano.

No Brasil, não existem dados sobre a quantidade de acidentes de trânsito que são causados pelo uso de medicamentos pelos motoristas, mas uma pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz revela que o país está entre os maiores consumidores de remédios do mundo.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *