Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o Portal do Trânsito, você concorda com o uso dessa tecnologia. Saiba mais em nossa Política de Privacidade.

27 de fevereiro de 2024

Produção de motos tem alta de 11,3% em 2023, melhor resultado em 10 anos

Ainda de acordo com o levantamento, as motocicletas foram o modal de mobilidade urbana que mais cresceu em 2023.


Por Pauline Machado Publicado 29/01/2024 às 18h00
 Tempo de leitura estimado: 00:00

1.573 milhão de unidades: este foi o número da produção de motos no Brasil somente no ano de 2023. De acordo com a Abraciclo, associação que reúne as fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (AM), este volume não somente equivale a alta de 11,3% no comparativo com o ano de 2022, como trata-se do melhor resultado do setor nos últimos dez anos.

Na opinião do presidente da Abraciclo, Marcos Bento, a produção superou as expectativas da Abraciclo. “Todas as fabricantes mantiveram o ritmo de produção, apesar das dificuldades surgidas no decorrer do ano. Isso comprova o esforço do setor na busca do crescimento sólido e sustentável”, ressalta o executivo.

Ainda de acordo com o levantamento, as motocicletas foram o modal de mobilidade urbana que mais cresceu em 2023, impulsionado pela continuidade da demanda por motos para o uso no delivery e pela logística de última milha, além do aumento das vendas à vista e pelo consórcio, que também contribuíram para o bom resultado do setor.

O estudo apontou ainda, que no varejo as vendas também se mantiveram em alta, com um aumento de 16,2% em relação ao ano passado, alcançando 1.582.032 unidades. No entanto, embora o setor tenha atingido crescimento na produção e nas vendas, nas exportações o resultado foi contrário, registrando queda de 40,5% em relação a 2022. As fabricantes atrelaram o resultado negativo à situação econômica na Argentina, um dos principais destinos das motos brasileiras.

Por categorias

Embora as motos de baixa cilindrada ainda representem 80,5% do mercado de motos no País, outros segmentos também tiveram crescimento em 2023. No entanto, o maior volume de vendas está nas motos de até 160 cilindradas, totalizando 1.266,1 milhão de unidades, com variação de 13,5%.

Entre as motos médias, entre 161 e 449 cc, o aumento na produção foi de 3,1%, chegando a 259,9 mil unidades. Já os modelos de alta cilindrada, ou seja, motos acima de 450 cc, chegaram a 47,2 mil unidades, com alta de 3,5% na produção.

Projeções para 2024

Para este ano, a perspectiva é produzir 1.690.000 motocicletas, o que corresponde a um crescimento de 7,4% em relação ao registrado em 2023, prevê, Bento.

No varejo, a perspectiva é que sejam emplacadas 1.700.000 motocicletas, volume 7,5% superior na comparação com 2023. As exportações deverão alcançar 35.000 unidades, aumento de 6,3% sobre o volume registrado no ano passado.

“A projeção se baseia nos cenários macroeconômicos do Brasil, considerando fatores como as expectativas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), inflação, variações nas taxas de juros, confiança do consumidor etc. Nossa meta é seguir crescendo de forma sustentável e retornar ao patamar de produção de dois milhões de unidades nos próximos anos”, finaliza o presidente da Abraciclo.

Receba as mais lidas da semana por e-mail

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *